Mensagens

O som da música

Imagem
O silêncio não existe na minha vida. Há sempre um ruído de fundo. É uma espécie de zumbido. Um certo ranger. Demorei imenso tempo a perceber o que era. Agora já sei... O que ouço é o meu corpo a envelhecer.

Lentamente.

Decididamente.

Tragicamente.

Trata-se do som da minha involuntária e incondicional rendição às leis da entropia.

Eu transformei-me no instrumento que o tempo utiliza para tocar a sua música.
Esse vago riff de eternidade deve ser afinal a música do cosmos.
Nem sempre sei como lidar com a bizarra estática que assombra todos os meus momentos. Por vezes irrita-me. Noutras ocasiões deixa-me ansioso e angustiado.

No dia em que toda música se acabar, deixarei de estar aqui, deixarei de ser o que sou.
E o que será a morte, se não o silêncio?

Legião

Imagem
Quando o evento finalmente se deu, as minhas almas dividiram-se: algumas regozijaram-se, outras choraram, mas a vasta maioria permaneceu indiferente... Uma coisa ficou clara para mim - o fim do mundo não era nada de consensual.

O Mapa

Imagem

Garras

Imagem
As sombras afiavam-se sobre o telhado, como garras a afilá-lo.
Era como uma espécie de solidão que se alimentava da memória.
Gostava do nome escrito sobre a caixa do correio...
Seria o meu nome?
Seria aquela a minha casa?


As Horas

Imagem
Era cada vez mais difícil lembrar-me de quem era, à medida que o dia avançava.
De manhãzinha sabia sempre bem quem era, onde estava e o que fazia.
Depois, com o passar das horas, as sombras começavam a mexer-se sobre os edifícios, como crianças incapazes de estar sossegadas, e, de repente, estava a interpelar o primeiro transeunte a atravessar-se no meu caminho:
- Quem sou eu? Onde estou? O que ando aqui a fazer?

Bónus

Imagem
A casa árvore era estreita por fora, mas muito alta e funda.
Um dia chegou um novo habitante
Era tão obsessivo e possessivo que deixava parte do seu espirito a assombrar o apartamento sempre que saía.
Quando inadvertidamente morreu numa dessas ausências, teve a vida muito complicada com as autoridades do Além.
Onde é que estava o resto da sua alma? Assim, não estavam, literalmente, reunidas as condições para ser admitido na eternidade!
O infeliz habitante da casa árvore tentou resolver o problema, mas, para sua desgraça, o novo locatário do seu apartamento era exorcista de profissão: ficou encantado por encontrar a nova casa já com uma alminha de estimação!
Era o que se chamava um bónus...


Rádio Babel

Imagem
Pinta-me os lábios da cor do mundo - disse ela, preparando-se para me beijar - quero florestas, cidades e oceanos a transbordar-me da boca.